terça-feira, 28 de março de 2017

Refletindo sobre graças recebidas




Amados (as) Leitores (as)

     Independente de nossas religiões e crenças pessoais, ou mesmo para aquele (a) que é ateu (aia), em certos momentos da nossa viagem pela Terra, pode acontecer de pedir-se uma graça à Deus, ou Santo (a), anjos (as), enfim, entidade ou qualquer denominação dada ao divino, dependendo da identidade religiosa professada. Alcançada ou não, tal graça não é uma negociação, ou ao menos não deveria ser, afinal, o criador do universo, realizou sua obra sem regras de "contratos, valores monetários de bolsas de ações, empréstimos com Bancos ou outras Instituições". Simplesmente por amorosidade dividiu a sua energia e legou aos homens, o cosmos. O homem no seu caminhar, foi deixando com seu livre arbítrio, histórias e legados!! Muita destruição...maldades, não tem como apagar as páginas da história!! E, muitos legados maravilhosos e repletos de sonhos de paz e amorosidade, um exemplo é Jesus Cristo!!!

     Retomando a ideia das graças recebidas, penso que ao serem alcançadas devem ser agradecidas e retribuídas com a caridade aos demais que necessitam, não sendo é necessário compreender que tudo tem seu tempo. Concluo essa breve reflexão, com uma frase do Padre Fábio de Melo (2017): "A graça não se paga, mas se responde com gratidão". Que a nossa semana seja de paz e profunda harmonia interior, gratidão meus amados e amadas!!!


Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer